Versos de Amor, Poesias Românticas, Poemas Carinho
 Versos de Amor, Poesias Românticas, Poemas de Carinho, Cartão Poesia
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
Textos

 


                           O SEGREDO DA CIGARRA...
 
       Tudo parecia estar em perfeita harmonia:  a Cigarra cantando, a Formiga trabalhando e a vida seguindo seu curso.
  
       Mas, a Formiga indignada e invejosa não se conformava. Questionava consigo mesma o porquê de tanta desigualdade. Enquanto ela se matava de trabalhar a Cigarra folgada só cantava e cantava.
 
       Houve então uma grande festa na floresta e todos foram convidados. A Formiga, coitada, frouxa de tanto carregar folhas, não conseguiu curtir a festa e ficou cochilando o tempo todo.
 
       Enquanto isso, a Cigarra cheia de energia, cantava e dançava, fazendo a corte às ninfas a noite inteira com o peito estufado e cheio de confiança, pois estava descansada e muito disposta.
Ela estava podendo muito!!!
 
       A Formiga se deu por vencida e foi embora descansar muito chateada, pois, não era sempre que era convidada para uma festa tão animada.
 
          No outro dia começou tudo de novo: a Cigarra cantando e cortejando as ninfas e a Formiga sofrendo, carregando folhas e mais folhas. De repente as duas se encontraram. Será o acaso? A Formiga continuava reclamando e a Cigarra feliz da vida cantando.
 
       Foi então que a Formiga resolveu se rebelar. Queria saber da Cigarra, como ela vivia sem trabalhar e ainda se divertia tanto.
 
       A Cigarra sentiu pena da Formiga e resolveu revelar o segredo dizendo então o motivo de tanto privilégio:
 
       _ Amiga Formiga - disse a Cigarra toda solícita. A vida é muito curta para todos nós. Eu tenho as árvores onde sugo a seiva. Sou praticamente um parasita. Só faço sugar o alimento e cantar, mas você, pobrezinha, não nasceu com essa sorte, não consegue tirar o sustento diretamente das plantas, então tem que sofrer muito carregando folhas pesadas e ainda tem que alimentar sua Rainha para que ela ponha os ovos garantindo assim a perpetuação da sua espécie. Mas saiba que, antes de viver à luz do dia, eu fiquei muitos anos sob a terra até atingir a maturidade para me acasalar com as ninfas.

     Minha espécie desenvolveu-se de tal forma que não precisamos mais sofrer para sobrevivermos ao ar livre, no entanto nada veio assim tão fácil. Foram milhares, talvez milhões de anos para chegarmos a esse ponto de evolução. Obra do "acaso" ou se preferir da "natureza". Uma questão de inteligência genética talvez...

       É muito triste passar a vida inteira trabalhando com as forças físicas e em pouco tempo ser substituída, entregando sua escravidão a outra Formiga mais jovem, que tal como você,  jamais conhecerá a alegria de viver. A infeliz vai trabalhar até que não seja mais útil à sua comunidade. Aí então, ela se recolherá resignadamente e morrerá na mais triste solidão.

     Uns nascem para sofrer, trabalhar, sustentar a família e servir a comunidade. Outros nascem para sorrir e aproveitar os prazeres mundanos. Quem sabe é uma questão de nascer com sorte na vida? Vai saber, né amiga? São os mistérios do universo... Pode ser uma questão de destino, sei lá... 



       A Formiga abaixou a cabeça humildemente e voltou ao trabalho resignada, pois a coitada não tinha poderes para mudar o curso da história com as próprias mãos. Só lhe restava esperar que um dia sua espécie evoluísse ao ponto de não precisar sofrer tanto para conquistar o pão de cada dia.
 

29/03/010


Raio de Lua
Enviado por Raio de Lua em 29/03/2010
Alterado em 24/04/2013
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

ESTE SITE É MELHOR
VIZUALIZADO NO
GOOGLE CHROME